Archive for July 4, 2008

Japanese Restaurants

Inspired by Forbes’s article about the best japanese foods you can’t get at home, I decided to post some of the best japanese restaurants, in my opinion, in Brazil, well, more specifically, in São Paulo, Brazil.

I know, some of you that know me in real life are wondering: You ate japanese food? Are you ok? Yes, I’m fine. Japanese food is not only seafood, they have other kinds of food too, like vegetables, so if you are allergic to seafood like I am, you can still try the japanese cusine.

Not giving the address cause this places are so famous, that to find the address all you have to do is google it.

Even thou many of you, english speakers, won’t be able to try it, I’ll still post in english, maybe you visit Brazil some day!

Koyama (old Semba), located at Bela Vista neighborhood. Is one of the oldest and most tradicional japanese restaurants. Most of their menu is originated from Kansai Idore. Order their shabu shabu, you gonna love it. It’s expensive but worth it. Don’t forget to be well dressed. I still remember when I went there with my father, just the two of us. Yes, I’m daddy’s girl.

Shintori, located at Jardim Paulista neighborhood. I haven’t being there, but my father did, many times, and I trust his opinion when it comes to restaurants. He also have some funny and kinda sad stories about the times that he went there. Really expensive. Don’t forget to be well dressed.

Shintori

Shintori

Original Shundi, located at Itaim Bibi neighborhood. Is one the most original japanese restaurants I ever saw. It’s a place filled with style. I can’t describe, you gotta go there. Watch out, it’s really expensive and not really worth it. Great for meeting your friends after work.

Original Shundi

Original Shundi

Kabura, located at Liberdade neighborhood. It’s a good option for those who wanna go to the japanese neighborhood in São Paulo, and it’s not really expensive. Have a more traditional food and decoration. If you feel hungry at 12:00 am, don’t worry, Kabura is still open.

Bakery Itikiri, located at Liberdade neighborhood. Is not really a restaurant, it’s a bakery. The owner is chinese, so they serve chinese food like manju, japanese like ichigo daifuku, and brazilian like bread with catupiry (kind of cheese) and corn topping. And the best drink!!! Poba juice!! I don’t know if it’s a tea, or a juice, doesn’t matter, it’s good. Good and pretty. All otaku from São Paulo have been there at least once. It’s a little bit expensive for a bakery, but not that much.

Poba juice from Itikiri

Itikiri

Itikiri Bakery sweeties

Itikiri Bakery sweeties

There’s another one, that I like a lot, but the owner changed it’s name and I haven’t being there since. Also, many japanese cuisine fans gonna say that Nakombi should be on the list, well, I’m sorry, the owner of Nakombi is not japanese or descendant. The only good thing about Nakombi is the decor, and that’s it. The food suck. Sorry for those who like it, but that’s my opinion.

The pictures were taken from the restaurants website, except for Itikiri’s pictures that I took from Marcelo Katsuki’s blog.

Português por favor?

Inspirada pelo artigo do Forbes sobre a melhor comida japonesa que você não pode comer em casa, eu decidi fazer um post sobre os melhores restaurantes japoneses, na minha opinião, no Brasil, bem, mais especifícamente, em São Paulo.

Eu sei, alguns de vocês que me conhecem na vida real estão pensando: Você come comida japonesa? Você tá bem? Sim, eu estou ótima. Comida japonesa não é só frutos do mar, eles tem outros tipos de comida também, como vegetais, então, se você é alérgico a frutos do mar como eu sou, você ainda pode experimentar a culinária japonesa.

Não estou dando o endereço porque estes lugares são tão famosos, que tudo o que você precisa fazer para encontra-los, é procurar no google.

Koyama (velho Semba), localizado no bairro da Bela Vista. É um dos mais velhos e mais tradicionais restaurantes japoneses. A maioria do cardápio é de kansai Idore. Peça o shabu shabu, você vai amar. É caro mas vale a pena. Não esqueça de ir bem vestido. Eu ainda me lembro quando eu e meu pai fomos lá, só nós dois. Sim, eu sou a queridinha do papai.

Shintori, localizado no Jardim Paulista. Eu nunca estive lá, mas meu pai sim, muitas vezes, e eu confio na opinião dele quando o assunto é restaurante. Ele tem umas histórias engraçadas e até meio tristes sobre ás vezes em que foi lá. Muito caro. Não esqueça de ir bem vestido.
*ver foto lááááá em cima*

Original Shundi, localizado no Itaim Bibi. É um dos restaurantes japoneses mais originais que eu já vi. O lugar é todo “estiloso” (como diz meu irmão). Não dpa pra descrever, você tem que ir. Cuidado, é muito caro e não vale tanto a pena assim. Ótimo para happy hours.

*ver foto lááááá em cima*

Kabura, localizado na Liberdade. É uma ótima opção para aqueles que querem ir dar um pulinho na Liberdade, e não é muito caro. Tem menu e decoração mais tradicionais. Se sentir fome ás 12:00 am, não se preocupe, Kabura está aberto.

Bakery Itikiri, localizado também na Liberdade. Não é bem um restaurante, é uma padaria. O dona é chinesa, então eles servem comida chinesa, como manju, japonesa, como ichigo daifuku, e brasileira, como pão com catupiry e milho verde. E a melhor bebida!!! Suco de pobá!! Eu nao sei se é chá, ou suco, mas não importa, é bom. Bom e bonito. Todo otaku paulista já esteve lá pelo menos uma vez. É um pouquinho caro para uma padaria, mas não tanto assim.

*ver fotos lááááá em cima*

Tem outro que eu gosto muito, mas o dono mudou o nome e eu não fui lá desde então. Também, muitos fãs da cozinha japonesa vão dizer que o Nakombi deveria estar na lista, bom, me desculpe, o dono do Nakombi não é nem japonês nem descendente. A única coisa legal do Nakombi é a decoração, e só. A comida é horrível. Me desculpem aqueles que gostam, mas está é minha opinião.
Os fotos foram tiras dos sites dos restaurantes, com exceção das fotos do Itikiri que eu tirei do blog do Marcelo Katsuki.

Comments (2) »

Haruna Ai

Isn’t she pretty?

Hihi ^_^ I’m so mean.

This is Haruna Ai, she’s famous for her Air Ayaya performance, but in the past, she was known by another name, her name was Kenji. Kenji for those that doesn’t know, is a boy’s name.

She’s a “new half”, that’s how man that made the transition to woman are called in Japan. I didn’t know that until I saw Danny Choo’s post about her. And I was surprised cause “new half” is a way better name than transsexual. It’s even cute! From now on, I won’t say someone is a transsexual, I will say she/he is a “new half”.

Danny Choo also said that there are many “new halfs” working on japanese talevision. How many “new halfs” are working on brazilian TV? One or two maybe. What about the american TV? I don’t have the answer for this one. But I think, we all can learn something from the japanese (like always they have something to teach), be open minded. If one of the most tradicional countries in the world can, why the other can’t? via Danny Choo

Português por favor?

Ela não é bonita?

Hihi ^_^ eu sou tão má.

Essa é Haruna Ai, ela é famosa por sua performace no Air Ayaya, mas no passado, ela era conhecida por outro nome, seu nome era Kenji. Kenji para quem não sabe, é nome de menino.

Ela é uma “nova metade”, é assim que são chamados os homens que viraram mulheres no Japão. Eu não sabia até ver o post do Danny Choo sobre ela. E eu fiquei surpresa porque “nova metade” é um nome bem melhor do que transsexual. É até bonitinho! De agora em diante, não vou dizer que alquém é transsexual, vou dizer que ela/ele é uma “nova metade”.

Danny Choo também diz que há muitas “novas metades” trabalhando na televisão japonesa. Quantas “novas metades” estão trabalhando na TV brasileira? Um ou dois talvez. E na TV americana? Não tenho a resposta para esta pergunta. Mas eu acho, que todos nós podemos aprender alguma coisa com os japoneses (como sempre eles tem alguma coisa a ensinar), seja mente aberta. Se um dos mais tradicionais países no mundo pode, por que os outros não? via Danny Choo

Comments (8) »